Certamente que isto é uma grande parte da nossa dignidade... que possamos conhecer e que, através de nós, a matéria possa conhecer-se a si própria; que, começando com protões e electrões, saídos do princípio dos tempos e da vastidão do espaço, possamos começar a entender; que, organizados como estão em nós, o hidrogénio, o carbono, o nitrogénio, o oxigénio, esses 16 a 21 em elementos, a água, a luz do Sol- todos eles, tendo-se transformado em nós, possam começar a entender o que são, e como se tornaram nisso. George Wald (Prémio Nobel da Medicina e Fisiologia) (1964)

terça-feira, 3 de julho de 2012

A ação antrópica nos sons vitais do Planeta Terra

Cornelis van Dalen, num artigo intitulado "The Dawn Chorus and Life Forces" (disponível na Internet), ao fazer referência ao livro "A Pilgrimage with the Animals" (Lascelles Dr.), sugere que o coro dos pássaros, no início das manhãs, desperta a terra colocando em movimento uma série de vibrações, que reagem sobre outras formas de vida.

Ou seja, quando um organismo vivo atinge certo estado de ressonância, ela se propaga para os demais seres vivos.
O autor explora esta ideia observando que a vida na terra seria lenta e até ineficaz, caso esta primeira "explosão" de energia vibracional iniciada com o canto matinal dos pássaros não ocorresse, o que inviabilizaria, então, o efeito em cadeia (efeito de ressonância).

Mas, o que vem sucedendo ultimamente com a diversificada e preciosa gama de sons naturais -- ou "nichos sonoros" - dos vários ecossistemas, em função da constante e intensa ação antrópica? De uma contínua interferência humana que envolve uma série de acções como o desmatamento, a poluição química e sonora, a industrialização excessiva e tantas outras práticas, desvinculadas de um reconhecimento da essência sagrada da vida, do respeito e cuidado que se deve dispensar a tudo que manifesta vida?
Recentemente foi divulgado um trabalho realizado pelo artista italiano Gabo Guzzo que trouxe evidências da extinção, no Planeta, de lugares isentos de interferências de sons gerados pela ação humana.

Na opinião de cientistas como o ecologista acústico Gordon Hempton, pesquisador da Bio-Acústica, uma ciência focada nos "nichos sonoros" ou "paisagens sonoras", se não investir-se na redução da poluição sonora, brevemente não só os seres humanos, mas todos os animais da face da Terra serão fortemente atingidos.

A Mensagem em vídeo traz uma pequena síntese da importância dos sons vitais e "nichos sonoros" no desenvolvimento e manutenção de todas as formas de vida e de como estariam sendo afectados os vários ecossistemas, em função do desequilíbrio provocado pela intensa poluição sonora, através da contínua ação antrópica.



Música: Sweet People - "La Forêt Enchantée" e "Et les Oiseaux Chantaient".

 (Facebook: "Civilização Solar", Bioharmonia, "Sons e Vida" e "A preservação das abelhas").

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...