Certamente que isto é uma grande parte da nossa dignidade... que possamos conhecer e que, através de nós, a matéria possa conhecer-se a si própria; que, começando com protões e electrões, saídos do princípio dos tempos e da vastidão do espaço, possamos começar a entender; que, organizados como estão em nós, o hidrogénio, o carbono, o nitrogénio, o oxigénio, esses 16 a 21 em elementos, a água, a luz do Sol- todos eles, tendo-se transformado em nós, possam começar a entender o que são, e como se tornaram nisso. George Wald (Prémio Nobel da Medicina e Fisiologia) (1964)

segunda-feira, 27 de junho de 2011

OCEANOS - MORTE ANUNCIADA

Pesca Intensiva

Os Oceanos enfrentam declínio "chocante"

 

Novo relatório revela situação sem precedentes na história da humanidade

 

 

 As pressões que se exercem nos oceanos, como o aumento de temperatura, as descargas ilegais e assassinas de produtos químicos altamente tóxicos ou a  sobre-pesca, fizeram os oceanos entrarem num declínio “chocante”, marcado por sintomas que antecedem as extinções em massa.
O alerta foi feito num relatório realizado por investigadores do Programa Internacional sobre o Estado dos Oceanos (IPSO, na sigla em inglês), que indica que os ecossistemas marinhos enfrentam perigos ainda maiores do que os estimados até agora pelos cientistas e que correm o risco de entrar numa fase de extinção de espécies sem precedentes na história da humanidade.
Neste trabalho, o painel de especialistas advertiu que factores como a pesca intensiva, a poluição e as mudanças climáticas estão a agir de uma forma conjunta que não havia sido antecipada.
Pesca Selvagem
                                     

Segundo Alex Rogers, director científico do IPSO e professor da Universidade de Oxford, "as conclusões são chocantes. Há mudanças que estão a acontecer mais rápido do que o expectável e de forma que não se esperava que fossem acontecer por centenas de anos", como o degelo no Árctico, na Gronelândia e na Antárctida, o aumento do nível dos oceanos e a libertação de metano no mar.


Efeitos em cadeia provocados pelos poluentes

Neste estudo verificou-se, por exemplo, que alguns poluentes permanecem nos oceanos por estarem presos a pequenas partículas de plástico que lá foram depositadas. A existência destes componentes, para além de prejudicar a alimentação dos peixes que os consomem, é responsável pela proliferação de algas tóxicas.

O estudo descreveu também como a acidificação dos mares, o aquecimento global e a poluição estão a agir de forma conjunta para aumentar as ameaças aos recifes de corais, tanto que 75 por cento dos corais mundiais correm o risco de sofrer um severo declínio.
O relatório observou ainda que episódios anteriores de extinção em massa revelaram tendências que estão a ocorrer actualmente, como distúrbios no ciclo de carbono, acidificação e baixa concentração de oxigénio na água.                                                       


Degelo e Poluição

"Ainda contamos com boa parte da biodiversidade mundial, mas o ritmo actual da extinção é muito mais alto [do que no passado] e o que enfrentamos é, certamente, um episódio de extinção global significativa", afirmou Alex Rogers, explicando ainda que os níveis de CO2 que são absorvidos pelos oceanos já são bem mais altos do que os registados durante a grande extinção de espécies marinhas que ocorreu há 55 milhões de anos.  

Alex Rogers

Este relatório, que será formalmente apresentado esta semana em Nova Iorque, recomenda ainda que se acabe, urgentemente, com a pesca intensiva, dando atenção ao alto mar, onde não há regulamentação eficaz, que se mapeie e reduza a entrada de poluentes como plásticos, fertilizantes agrícolas e dejectos humanos e que se minimize as emissões de gases de efeito estufa.

Tudo 'coisas' impossíveis de por em prática com esta 'espécie' de gente. A civilização começou quando o homem cortou a primeira árvore, terminará quando não houver mais árvores para cortar; P'lo meio extinguir-se-á o último peixe e se ainda houver testemunhas, assistirão à agonia terrível da 'espécime' mais predadora que o planeta já conheceu:

O Homo Sapiens Sapiens

 P.S. - Mais de 60% do peixe aproveitado (Grande Parte da Pesca Regressa ao Mar) no mundo serve para fabricar rações para o gado, outra grande percentagem para a indústria química, imensas vezes para o preço na lota não 'cair' é dada ordem para 'despejar' toneladas de pescado (já sem vida), no mar. Só uma ínfima parte chega à mesa do consumidor. 

Fontes: Ciência Hoje; Google; Infopédia, Público e Wikipédia.

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...